Nas Pegadas da Poesia

11.50

Cada frase, cada observação pode ser uma janela; encosta-te ao peitoril do teu estar; na contemplação do horizonte, espera que a tua alma se inebrie e o teu coração vibre na ressonância com o todo e da profundidade do teu ser dê à luz novos versos do universo. Então para lá do espaço e do tempo vibrarás a ressonância do ser. Serás tu no todo, sombra e luz a dar à luz.

Excerto do prefácio

Descrição

Poesia de António Duarte Justo

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Nas Pegadas da Poesia”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *